Sabemos que o mundo ultrapassou ao longo dos séculos várias pandemias, que felizmente conseguiu ultrapassar.

Por serem acontecimentos pontuais, nunca pensamos que um dia poderemos vir a passar, também nós, um episódio tão esporádico como este. A verdade é que 2020 tem sido duro com o mundo. O Covid-19, apoderou-se do mundo, e durante todo este ano, vivemos com medo deste vírus, tentando combatê-lo da melhor forma possível. O mundo viu-se obrigada a adaptar-se a uma nova realidade, completamente desconhecida.

Se acha que a palavra mais procurada durante o ano de 2020 é coronavírus ou Covid-19, está enganado, mas perto da realidade!

A palavra mais pesquisada este ano foi precisamente pandemia. Claro que a maioria das palavras que se encontram na lista das mais procuradas estão relacionadas com a Covid-19, como por exemplo, açambarcamento, epidemia, isolamento, profilático, teletrabalho, telescola.

Mas 2020 não foi só coronavírus, outros assuntos estiveram também no centro da atenção mundial, como por exemplo, o antirracismo que ganhou força este ano, impulsionado pela morte do americano George Floyd, a que se seguiram outros homicídios, mas também acontecimentos pontuais de insultos a algumas personalidades futebolísticas. Por isso, também as palavras antirracismo, negro, preto, racismo e xenofobia, tiveram bastante procura.

A desinformação desperta a curiosidade e espoleta a procura, neste seguimento palavras como emérito (rei emérito Juan Carlos saiu de Espanha e papa emérito Bento XVI doente), legado (aniversário do nascimento de Aristides Sousa Mendes), proselitismo (manifesto contra as aulas de cidadania), renhido (eleições presidenciais americanas), algeroz e orgia (eurodeputado ultraconservador apanhado em orgia ilegal em Bruxelas) ou gambito (série da Netflix), foram também bastante procuradas.

A verdade é que através desta lista, conseguimos perceber o que mais preocupou a população em 2020.

Precisamos que 2021, seja mais benevolente com o mundo, e que todos tenham aprendido com o ano que agora termina.